// SMART MATERIALS

Saiba mais sobre as nossas matérias-primas

///// algodão orgânico

O algodão orgânico não utiliza agrotóxicos e pesticidas na sua produção, o que diminui danos ao meio ambiente e também ao ser humano. Químicos utilizados na agricultura convencional do algodão, além de contaminar a água e o solo, afetam a biodiversidade local e prejudicam os agricultores, que em contato diário com estas substâncias podem ter problemas de saúde. Estima-se que 250 mil agricultores adoecem todo ano. A agricultura orgância contribuiu na redução de 46% das emissões de gases do efeito estufa, 70% das emissões responsáveis pela acidificação do solo e 91% no consumo de água durante a irrigação.

O algodão orgânico também é bastante recomendado para pessoas alérgicas, por suas características neutras.

///// algodão reciclado

Na indústria têxtil são descartadas quantidades enormes de tecidos, seja na tecelagens, na confecção ou mesmo no pós-consumo. Com o desenvolvimento tecnológico, hoje conseguimos reciclar este material e reinserir estes refugos no ciclo produtivo, como é o caso do algodão reciclado. Refugos do pré-consumo são mais utilizados pela indústria de reciclagem, pela facilidade de separação das cores e qualidade. No pós-consumo, há dificuldades por conter etiquetas, zíperes, botões e outros aviamentos, além da diversidade de coloração e o nível de desgaste. De qualquer forma, após a separação do material, os refugos são triturados e resultam numa nova fibra de algodão simples. E então são refiadas e transformadas em tecido novamente. O mais interessante é que o processo inteiro não leva água, com pegada hídrica zero.

///// poliamida biodegradável

A poliamida biodegradável se decompõe na natureza em menos de três anos, num processo químico em que bactérias do solo e do ambiente se alimentam da fibra.

Conhecida por qualidades como toque, conforto, transpirabilidade, absorção de umidade e facilidade de lavagem, a poliamida é muito funcional.

//// bambu

O bambu é uma fibra biodegradável de toque extremamente leve. No seu plantio não é necessário usar fertilizantes, pois é uma planta de crescimento muito rápido. Também não é preciso utilizar pesticidas, já que o bambu é uma fibra naturalmente resistente a pragas. Muito versátil, a fibra de bambu usa pouca água em seu processo de irrigação e absorve mais dióxido de carbono do ar do que o algodão e a madeira, por exemplo. Mais: possui função antibactericida, inibe odores e tem secagem rápida.

///// linho

O linho é proveniente de uma planta fibrosa, sendo a linhaça sua semente. Por ser uma fibra natural de fonte renovável, possui propriedades biodegradáveis. Seu cultivo requer 20 vezes menos água do que o algodão e dispensa a utilização de fertilizantes químicos. Por não agredir o solo, pode servir como rotação de cultura, ou seja, em épocas diferentes, o agricultor pode substituir o plantio do linho por outros tipos de plantações.

O linho é conhecido como material nobre, pois seu desenvolvimento requer bastante qualidade e a produção em grande escala não é recomendada. Por estes motivos a fibra e seus produtos apresentam maiores valores de venda.

///// viscoses tencel® / lyocell® / modal®

Os artigos produzidos com tencel®/lyocell®/modal® adquirem propriedades antibactericidas, o que previne o surgimento de odores provenientes do suor ou por uso prolongado. Também possuem alta capacidade de absorção, ajudam no controle da hidratação e temperatura corporal e previnem irritações na pele.

Estes materiais são provenientes de fontes celulósicas, como o eucalipto (eucalyptos) e faia (beechwood), que são fontes renováveis e biodegradáveis, com crescimento rápido e capacidade de plantio em terrenos inférteis para agricultura. Suas propriedades defensivas naturais evitam a utilização de pesticidas, fertilizantes ou alteração genética.

O toque confortável exclui a necessidade de amaciantes e pode-se reduzir os ciclos de lavagem e temperatura, já que possuem proteção natural antibactericida.

///// poliéster reciclado (pet)

Muito utilizado na moda sustentável, o tecido de pet reciclado (ou poliéster reciclado) assume papel fundamental na diminuição de resíduos plásticos descartados incorretamente no meio ambiente.

Após a coleta, o pet é separado por cor e qualidade e em seguida lavado e moído.

Na etapa seguinte, estes novos grãos são fundidos em altas temperaturas e também filtrados, removendo assim todos os resíduos sólidos, como pedras e metais.

Com seu resfriamento, o material é granulado e transformado em chips que passam por um processo de extrusão e são transformados em pasta, que é posteriormente convertida em microfilamentos estirados e termofixados.

Ao final, estas novas fibras são embaladas em fardos e encaminhadas para diversas transformações e finalidades.

///// combinações

Para criar produtos com diferentes qualidades, contamos com tecidos que possuem combinações que misturam duas ou mais matérias primas, o que proporciona maior variedade para o consumidor. Por exemplo: utilizamos o algodão reciclado com o poliéster reciclado para criar um produto ao mesmo tempo confortável e resistente. Estas variadas combinações também permitem criar produtos diferenciados com acabamentos texturizados.