Ir para o conteúdo

O que é Malha Bambu Sustentável?

O que é a Malha de Bambu Sustentável?

Bambu

O bambu (conhecido também como Viscose de Bambu) é uma fibra biodegradável de toque extremamente leve. No seu plantio não é necessário usar fertilizantes, pois é uma planta de crescimento muito rápido. Também não é preciso utilizar pesticidas, já que o bambu é uma fibra naturalmente resistente a pragas. Muito versátil, a fibra de bambu usa pouca água em seu processo de irrigação e absorve mais dióxido de carbono do ar do que o algodão e a madeira, por exemplo. Além destas características, possui função antibacteriana, inibe odores e tem secagem rápida.

Vantagens

  • renovável e de crescimento rápido
  • não utiliza fertilizante (crescimento rápido)
  • não utiliza pesticida (proteção natural)
  • não utiliza OGM (Organismos Geneticamente Modificados)
  • propriedades antibacterianas
  • alta capacidade de absorção
  • regulação da temperatura corporal e evita irritação da pele
  • evita suor ou odor de uso prolongado

Considerações:

De acordo com a “Scientific American”, o bambu pode ser cultivado com pouco ou nenhum fertilizante, pesticidas, máquinas pesadas de colheita ou irrigação, e os sistemas radiculares de bambu podem proteger margens íngremes da erosão. Como o bambu tem sistemas radiculares tão profundos e é meramente cortado, o solo permanece intocado pelas máquinas durante a colheita. O bambu absorve cinco vezes mais carbono e produz 35 vezes mais oxigênio do que um conjunto de árvores de tamanho semelhante.

Até este ponto, a malha ou matéria-prima bambu parece ser só positiva. Mas é importante considerarmos que no processo de fabricação e transformação em fibra, são utilizados diversos químicos. Desta forma, é importante verificar se há certificados que comprovem que o fabricante tenha não só utilizado processo em que os químicos são tratados tanto na questão de efluentes, quanto na malha. Quais seriam estes certificados de malha de bambu sustentável? Um dos mais importantes é o Oeko-Tex Standard 100, que certifica matéria-prima que não tenha químicos nocivos para os consumidores, quanto para o meio-ambiente. Leia o descritivo do certificado no final do texto.

Sobre os impactos negativos quando a viscose de bambu não é certificada e não apresenta processos sustentáveis, podemos citar alguns. Para começar, embora o bambu tenha um crescimento acelerado e não exija pesticidas, isso não significa que esteja sendo cultivado de forma sustentável. A maior parte do bambu é cultivada na China, e há informações limitadas sobre a intensidade com que o bambu está sendo colhido, ou que tipo de desmatamento pode estar em andamento para abrir caminho para o bambu. Além disso, embora o bambu não precise de pesticidas, não há garantia de que eles não estejam sendo usados para maximizar a produção. No entanto, nos últimos anos, o governo chinês reprimiu esses processos mais intensivos e agora é considerado uma prática extremamente ruim na indústria, o que é um grande progresso.

O segundo e muito mais popular método é o processo usado para fazer o tecido de bambu macio e sedoso que você encontra em lençóis, roupas íntimas e muito mais. Este “rayon de bambu” é produzido através de um processo químico altamente intensivo, semelhante ao processo usado para transformar lascas de madeira em rayon. É aqui que a sustentabilidade do bambu fica um pouco duvidosa. Rayon é essencialmente uma matéria-prima convertida através de um processo químico. A fonte da celulose pode ser algodão, madeira e sim, bambu.

O rayon de bambu é mais comumente feito através do que é conhecido como processo de viscose, que envolve a dissolução de material de celulose (neste caso, bambu) em uma solução química para produzir uma substância viscosa como polpa. Isso é então empurrado através de uma fieira e “fiado” nas fibras que podem ser transformadas em fios e tecidos. Os produtos químicos usados neste processo como soda cáustica e dissulfeto de carbono são altamente tóxicos e um risco para a saúde humana. Cerca de 50% dos resíduos perigosos da produção de rayon (incluindo a variedade de bambu) não podem ser recapturados e reutilizados, mas isso não significa que estejam sendo despejados diretamente no meio ambiente. Felizmente, os processadores úmidos nos últimos três anos foram obrigados a reformular suas práticas e houve uma grande melhoria no gerenciamento de produtos químicos e no tratamento de resíduos.

Sabendo disso, procure sempre malhas de viscose de bambu certificadas. Na movin, utilizamos apenas malhas certificadas por instituições de renome, como a Oeko-Tex.

Certificados

OEKO-TEX

OEKO-TEX® permite que consumidores e empresas tomem decisões responsáveis que protejam nosso planeta para as gerações futuras.

São 17 institutos independentes de pesquisa e teste na Europa e no Japão, responsáveis pelo desenvolvimento conjunto de métodos de teste e valores-limite que formam a base dos padrões.

É um sistema de certificação internacional do setor têxtil que abrange suas fases do processo, desde a matéria prima até o acabamento final dos tecidos, objetivando certificar que os produtos sejam isentos de substâncias nocivas para a saúde humana.

A metodologia de ensaio do sistema Oeko-Tex®100 – Classe I, feito por institutos autônomos e reconhecidos internacionalmente, se baseia em simulações de absorção de substâncias químicas pelo corpo através da pele, por via oral ou respiratória.

Existem 4 classes que agrupam os tecidos conforme sua utilização, área em contato com o corpo e quanto maior a sensibilidade da pele. Estas classes são:

  • Classe I – Têxteis e brinquedos para crianças até 3 anos de idade (roupa íntima, roupas de cama, bonecos de pelúcia).
  • Classe II – Têxteis que tem uma grande área em contato direto com a pele (roupa íntima, roupa de cama, camisas, meias, roupas em geral).
  • Classe III – Têxteis que não tem contato com a pele ou apenas um pequeno contato (casacos, agasalhos, forros).
  • Classe IV – Materiais de decoração (toalhas de mesa, cortinas, colchões).

Os ensaios a substâncias nocivas abrangem substâncias proibidas e regulamentadas por lei, produtos químicos cujos efeitos nocivos para a saúde são conhecidos e parâmetros para salvaguarda da saúde.

Clique aqui e saiba mais sobre a certificação Oeko-Tex.