MILK

maus tratos, químicas, toxinas, lobby de indústrias…
o leite que se toma está muitas vezes associado à questões polêmicas.
mas saiba que a produção de leite orgânico está em crescimento e
estima-se que em alguns anos a sua oferta aumentará consideravelmente.
sim, o preço será mais caro: segundo especialistas, este tipo de produção
pode aumentar em até 50% o preço final, mas um levantamento indica que
o consumidor está disposto a pagar mais por esse produto
de maior qualidade e mais ético.
mas, afinal, o que é um leite orgânico?

-os animais devem permanecer livres no pasto pelo maior tempo possível
(o mínimo estabelecido pela regulamentação é de seis horas por dia)
-sombra e água precisam estar sempre disponíveis
-o pasto deve ser livre de pesticida
-os complementos da alimentação devem ser compostos por no mínimo 85% de produtos orgânicos
-não podem aditivos para crescimento, estimulantes de apetite e qualquer alimento transgênico
-vacinas determinadas pela lei são mantidas, mas o tratamento de saúde é feito preferencialmente com fitoterapia e homeopatia
-também não podem antibióticos, hormônios e vermífugos
(se há necessidade de tratar a vaca com antibióticos, ela deve ser tirada da produção)
-na produção orgânica, os bezerros mamam na mãe nas primeiras semanas
(o processo de desmame pode ser auxiliado por florais, que acalmam mães e filhos)

em tempo: um estudo publicado em 2012 na revista científica britânica "journal of the science of food and agriculture" revelou que índices de alguns nutrientes, como proteínas e ômega 3, são maiores no leite orgânico.

esse leite tá valendo, não?

fontes:
folha de s.paulo
lei 10.831/03,
CPRA (centro paranaense de referência em agroecologia)
embrapa cerrados
tagged com: FOOD SUSTENTABILIDADE

post mais antigo post mais recente